A importância do Autoconhecimento para os Relacionamentos

A importância do Autoconhecimento para os Relacionamentos

Por: Psicóloga Patricia Figueiredo- CRP 06/96792

Na minha prática clínica, muitos pacientes me procuram com questões de relacionamento amoroso. Se a gente for pensar, é algo óbvio, já que nascemos pertencendo a um sistema de relações. Então é e sempre será uma questão a ser olhada e transformada. Digo que as relações são a melhor forma da gente se autoconhecer e  de se transformar pelo trabalho da nossa sombra.

Os relacionamentos amorosos são o palco onde nossas sombras estão mais presentes. Carotenuto, em seu livro “Eros e Patho: Amor e sofrimento”, diz que amar alguém torna as pessoas livres para manifestarem sem inibições seu lado emocional positivo, mas também o negativo. Por isso, o jogo do amor é um sistema muito complexo, pelo fato de estar presente o amor, a ternura e o afeto, e também o lado mais obscuro das pessoas.

O autoconhecimento é imprescindível para o sucesso do relacionamento,  para que cada um da relação avalie sua participação e perceba o que acontece dentro de si quando a expectativa não é atendida pelo parceiro. Os padrões vem à tona e tomar consciência deles é o pontapé inicial para a mudança comportamental. A psicoterapia pode investigar a repetição desses padrões relacionais ao longo da vida na biografia, e a partir daí compreender as razões pelas quais se atrai certos tipos de parceiros. Você já percebeu que o padrão de parceiro costuma ser muito semelhante? Por exemplo, posso atrair parceiros amorosos que me trazem sensação de abandono, rejeição, violência. E no trabalho de autoconsciência perceber por que isso acontece e qual é o meu aprendizado. Com certeza isso tem a ver com o que de fato preciso mudar e evoluir como pessoa.

É comum observar casais que buscam esse processo de crescimento juntos. Outros que possuem um padrão de destruição que se perdura por muito tempo, mas que não se separam por terem algum ganho secundário com a relação, que pode ser dependência emocional, financeira, crenças limitantes pessoais e/ou impostas pela sociedade. E também há outros que se separam quando enfrentam uma dificuldade e que não estão mais dispostos a mudar, seja lá qual for o motivo.

A realidade é que você mesmo trocando de parceiro, você vai atrair pessoas que irão contribuir para seu aprendizado, é inevitável. Basta avaliar o que você quer, o que você sente e o quanto você está disposto para mudar. Mude que tudo muda, é questão de  tempo. Ou escolha continuar sua vida como está, mas de preferência sem reclamar!

Acompanhe meus artigos aqui no Psicursos mensalmente!

Me siga também no meu site: www.sppsicologia.com.br

Até o próximo artigo!!

Patrícia Figueiredo