E lá se foi mais um carnaval

E lá se foi mais um carnaval

Por: Psicóloga Susi Cerigato CRP: 06/41531

Uma semana ou apenas alguns dias em que nos permitimos abrir espaço na racionalidade para viver a alegria e o prazer.

E sem sombra de dúvida, uma das razões pode ser pelo fato de que vivemos num ritmo fatigante, na busca desenfreada em harmonizar a vida pessoal com vida profissional… nossas preocupações diárias vão muito além de pagar as contas e lidar com os desafios.

Ouvi a mídia se referir “as pessoas” que participaram do carnaval como “foliões”, e ao pesquisar esse termo, descobri:  vem do francês “folie”, que significa loucura…

Assim, fica fácil entender que a festa do carnaval é a celebração dos loucos. Podemos nos vestir de nossos personagens preferidos, pelo simples aspecto da farra ou para nos proteger de julgamentos e críticas.

Aliás o carnaval é uma das festas mais democráticas, em que nos permitimos a liberdade e pouca ou nenhuma preocupação com a censura. E assim podemos extravasar a ponto de nos tornarmos diferentes do que somos nos outros dias do ano.

É como se a festa do carnaval fosse um passaporte para a ousadia total durante aqueles dias.

Se eu fiz algo estranho, incomum, socialmente reprovável, estou perdoado, pois no carnaval eu posso!

É o momento em que posso ser quem eu quiser através de uma fantasia, posso flertar com várias pessoas, dançar e me divertir muito.

O carnaval foi e é esperado por nós, possivelmente por trazer consigo essa sensação de liberdade, por consentir viver alguns desejos.

Estamos cada vez mais entregues na busca pelo prazer, nesse sentimento de realização de desejos, nessa fuga do cotidiano, do que é comum a todos.

A vontade de transgredir a norma, o comum, o cotidiano fica acentuada, pois sentimos que esse tempo é propício para liberar a excentricidade, sem necessariamente sofrer com a censura e a moral.

Arrisco afirmar que no carnaval podemos retirar a máscara social que está colada ao nosso corpo e à nossa alma.

E lá se foi mais um… e ao voltar ao cotidiano é como se minhas antigas máscaras já não são tão necessárias.

Confira meu último artigo: CLICANDO AQUI!