A diferença entre o homem e a mulher na visão da Antroposofia

A diferença entre o homem e a mulher na visão da Antroposofia

Por: Psicóloga Patricia Figueiredo- CRP 06/96792

Há diferenças entre o homem e a mulher não somente no âmbito físico, mas também
no emocional. Isso é notável certo?

Gädeke em seu livro “Sexuality, partnership and mariage: from a spiritual perspective”
traz que a orientação do homem é para a realização de algo que é aceito e importante para o
mundo. Isso tem grande valor para sua alma. Realizar algo no mundo se expressa em seu
corpo sendo ele mais duro e impermeável do que o da mulher. Em outras palavras, mais
terreno e menos conectado a natureza. Este é o motivo que compensa a sua falta de
espiritualidade e conexão com a realização cultural representativa no mundo, colocando os
relacionamento em segundo plano.

A mulher é ao contrário, diz Gädeke. Sua prioridade é o relacionamento humano, e na
maioria delas a maternidade. Ela se disponibiliza para gestar e cuidar de um filho, que é
totalmente dependente dela. Ela é permanentemente lembrada de que ela pode ter um filho
todo mês. E isso por si só já indica a disponibilidade para as relações, e afasta-se das outras
concretizações no mundo. Gudrun Burkhard em seu livro “Homem-mulher: a integração como
um caminho de desenvolvimento” acrescenta que a mulher é mais cósmica, e não está tão
imersa em seu corpo como o homem. Por isso há uma abertura maior para os
relacionamentos e a uma maior necessidade de carinho e afeto, inclusive nas relações
sexuais. Diferente do homem, já sabemos que ele consegue separar mais facilmente o sexo
de afeto.

É preciso ressaltar que o desafio de ambos os sexos é exatamente equilibrar esses
polos. A mulher precisa pensar e realizar coisas no mundo que estejam além das relações
afetivas e da maternidade. E o homem precisa desenvolver seu lado emotivo e emocional,
afim de dar uma importância significativa para as relações, além das suas realizações
concretas no mundo. Como tudo na vida, não é gente? O ideal é sempre o caminho do meio,
as polaridades sempre denuncia um desvio que precisa ser olhado e transformado.
Fiquem ligados nos meus artigos! Todo mês estou por aqui para passar informações
para vocês!

Veja o artigo anterior que escrevi pro Psicursos clicando AQUI!